Sobre amigos

"Quando eu ainda era um adolescente, meu pai me ensinou uma dura verdade: "Ao longo da sua vida, você não vai encher uma mão com pessoas para quem você pode mostrar suas fraquezas sem que elas usem isso contra você.
Sequer cinco. Chocante. Esta frase me marcou a ponto de me fazer lutar contra ela por anos. Meu grande amigo, meu modelo, mais experiente que eu, me disse que na vida inteira eu não chegaria a encontrar cinco amigos que teriam estômago, generosidade, cumplicidade suficiente pra saber quem eu realmente sou. 
Conheci pessoas ao longo da vida que já foram um dedo nessa mão e não quiseram (ou conseguiram) mais ser. Tem gente que ainda está aqui. Mas a mão ainda não está cheia. Talvez nunca venha a estar. Sorte de quem tem o pai ou a mãe nesta mão. Sorte de quem casou com um de seus cinco dedos. Sorte de quem tem um Deus pra se abrir. Percebi que a única coisa que eu posso fazer é ser um dedo na mão de alguém. Na mão do máximo de pessoas que eu puder ser. E tenho tentado. Posso tentar ser alguém que não usa a fraqueza das pessoas contra elas mesmas. De verdade, já falhei muitas vezes, mas tenho tentado. E, talvez não como sonhava na infância, tenho muitos, muitos amigos mesmo. E acredito que se tenho tantos amigos, é porque descobri que existe uma coisa mais importante que ter um amigo: ser um."



Comentários

Verdade Luci, melhor do que querer é ser.

Beijos querida!
Ricardo Monteiro disse…
É verdade.
Bonito. Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

É sorrindo que se fala com os olhos