Sobre o passado: muitas coisas.

"Já não alcanço o passado, meus limites reconheci. 
O hoje é tudo que tenho, isso aprendi." 
| Baruk |




Não entendo quando alguém diz que não tem arrependimentos na vida, que se pudesse voltar atrás faria tudo exatamente igual. Sei que tudo o que vivemos faz aquilo que somos, mas não posso entender que diante do devaneio de poder mudar coisas erradas da vida, alguém permaneça inerte. Talvez eu é que seja muito fraca ou muito ingênua.
Eu teria feito tantas coisas! Teria bebido mais café com meu avó. Teria brincado mais. Teria tardado a época dos namoricos e paixonites agudas. Teria imposto mais minhas opiniões. Não daria tanta moral pra algumas pessoas. Teria selecionado melhor minhas amizades. Me doaria mais aos amigos verdadeiros. Não teria reservas ou timidez em expor minha fé na adolescência. Estudaria mais e seria a melhor da turma. Teria conhecido algumas pessoas e desconhecido outras. Teria brigado menos com meus primos, embora fossem sempre brigas bobas de criança. Teria falado mais de Jesus, do céu e da salvação pros meus colegas e amigos. Teria esperado meu príncipe sem ficar gostando e sofrendo por causa de caras idiotas. Teria conhecido Nárnia bem antes do que conheci e também o Condado, as Ilhas do Oriente, a Inglaterra 1797, a Paris 1912, a Cidade das Esmeraldas e a estrada de tijolos amarelos.
Sobre o passado: muitas histórias. Erros foram cometidos e arrependimentos vividos. A colheita é obrigatória, mas o que posso mudar e fazer melhor hoje, tenho feito. Meu riso é solto e minha alma é leve porque minhas faltas e meus fardos ficaram sobre os ombros de Jesus. Nada é mérito meu. E o que fica de bom do que vivemos é o aprendizado, as experiências boas e ruins que nos mostram que apesar de nos sentirmos eternos, somos frágeis. Somos fruto do penoso trabalho das mãos de Deus. Somos dependentes.


Comentários

Mima disse…
Concordo Luci, há tanto que deveria ter sido feito.
Mas como você lindamente citou: meus limites reconheci.

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

É sorrindo que se fala com os olhos