Do egoísmo que existe em cada um



[Tudo não passa de retórica vistosa sobre amar você.
 Eu nunca tive um pensamento altruísta desde que nasci.
 Sou um mercenário egoísta o tempo todo;
 Quero Deus, você, todos os amigos apenas servindo a mim.

 Paz, garantia, prazer, são as minhas metas.
 Eu não consigo me arrastar um centímetro fora de minha pele;
 Eu falo de amor — o papagaio de um professor fala grego.
 Mas, preso dentro de mim, sempre acabo onde comecei.]


Na primeira vez em que li esse poema de C.S. Lewis, que é um tipo de confissão, me identifiquei tanto com os sentimentos dele que era como se alguém tivesse chamando meu nome. Eu falo de paz e causas boas, mas não sei dizer se já me importei de verdade com outra pessoa além de mim.
E não posso deixar de pensar: Será que eu sou o papagaio do poema recitando amor sem saber do que está falando?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos