O livro da vez

"Dançando sobre cacos de vidro"
Literatura estrangeira.
Romance, meu gênero favorito!
Editora Arqueiro.


Em meados de 2004 viajei pra Curitiba e lá eu li O Futuro da Humanidade de Augusto Cury, publicado pela Arqueiro, livro que está na minha lista de abandonados.
Antes disso ainda, li Fortaleza Digital de Dan Brown, também publicado pela Arqueiro e igualmente abandonado. Depois li A Cabana e A Travessia ambos de Willian Young, A Primeira Vista e O Milagre de Nicholas Sparks, todos publicados pela Arqueiro e acrescidos à lista de relidos.
Agora to lendo Dançando sobre cacos de vidro de Ka Hancock, um romance de 336 páginas que comprei na quarta-feira, to na página 73 e totalmente presa. É uma história que foge do comum, melhor que muitos clichês.
Lucy tem genes cancerígenos e Mickey tem transtorno bipolar avançado, um casal problemático e lindo. Mais lindo é o jeito que um cuida do outro.  
Uma das coisas que mais gostei é que a história é contada por ela, mas alguns trechos é contada por ele, então dá pra entender a dor e a alegria de cada um de forma particular.


"Gosto de pensar na minha doença mental como um complemento pro resto de mim, como um tipo de diabetes emocional. O Depakote é a minha insulina, os humores são o açúcar no meu sangue. Como qualquer bom diabético, me esforço bastante para manter os níveis equilibrados. Se não fizer isso, adoeço. É preciso talento para lidar com esse transtorno. É preciso coragem para controlá-lo a fim de que ele não me controle. Às vezes é preciso encontrar um bom guia. No meu caso, precisei de um destino. Lucy é meu destino. Não importa se estou encurralado num canto escuro ou debruçado sobre um precipício estonteantemente brilhante, meu objetivo é sempre voltar pra ela." Pág. 40


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos