Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Absoluto

Imagem
" Me reduziria ao pó de onde vim, Mas eu não enxergo o que Ele vê em mim."
| Os Arrais |


Pode um dia eu entender o porque de tanta graça derramada sobre mim?
Pode eu desconfiar da verdade de que nada do que eu faça pode diminuir ou aumentar o amor que Tens por mim?
Pode o carinho que Tu dedicas a minha vida ser explicável, compreensível ou até mesmo racional?
Será que um dia eu, na minha miudeza e inutilidade, entenderei porque me formou e me chamou e me escolheu?
Porque se importas comigo tanto a ponto de fazer tanto sem me cobrar nada?
Pode eu não ficar me questionando como consegue me amar e sofrer por mim sem hesitar diante de meus defeitos?
Pode eu compreender a grandeza de quem És?
Será mesmo possível que eu sem merecer receba de forma abundante tanto de Teu cuidado?
Porque renovas a Tua misericórdia todo dia não me deixando afundar no meu mar de imperfeições?
Porque me perdoas mesmo quando machuco Teu coração? Porque não me destrói? Porque me sustentas?
Como posso se…

"Sou um coração batendo no mundo."

Imagem
Às vezes o que precisamos é voltar a atenção pras pequenas coisas. Desfocar nossos olhos das impossibilidades, das dores, da frustração. Esquecer um pouco nossas feridinhas.
Observar a delicadeza miúda do que é ser.
E ser cada dia mais. Mais mansidão. Mais entrega. Mais cura.
Abrir os braços ao vento, deixar o cabelo bagunçar, sorrir leve e respirar fundo.
Esquecer os momentos doloridos, de perda, de despedida, de desolação. E levar a alma pra passear.
Deixar os pensamentos turbulentos se organizarem em fila indiana, e então, descartar o que não traz paz.
Se aliviar do fardo de ser aprovado por todos o tempo todo.
Olhar com carinho pras coisinhas tão doces que a vida nos permite desfrutar.
Às vezes o que precisamos é nada mais do que um momento de sossego. Sem nada a fazer. Sem compromissos. "Dolce farniente!" como dizem os italianos.
Precisamos de mais amigos do peito. Mais abraços esmagadores. Mais livros na lista de lidos e relidos. Mais canções do céu. Mais momentos mar…

O livro da vez

Imagem
"Dançando sobre cacos de vidro" Literatura estrangeira. Romance, meu gênero favorito!
Editora Arqueiro.


Em meados de 2004 viajei pra Curitiba e lá eu li O Futuro da Humanidade de Augusto Cury, publicado pela Arqueiro, livro que está na minha lista de abandonados.
Antes disso ainda, li Fortaleza Digital de Dan Brown, também publicado pela Arqueiro e igualmente abandonado. Depois li A Cabana e A Travessia ambos de Willian Young, A Primeira Vista e O Milagre de Nicholas Sparks, todos publicados pela Arqueiro e acrescidos à lista de relidos.
Agora to lendo Dançando sobre cacos de vidro de Ka Hancock, um romance de 336 páginas que comprei na quarta-feira, to na página 73 e totalmente presa. É uma história que foge do comum, melhor que muitos clichês.
Lucy tem genes cancerígenos e Mickey tem transtorno bipolar avançado, um casal problemático e lindo. Mais lindo é o jeito que um cuida do outro.   Uma das coisas que mais gostei é que a história é contada por ela, mas alguns trechos…

Céu

"Eu não quero ver teus anjos Eu não quero o teu maná Eu não quero os teus milagres Eu não quero as tuas mãos Eu não quero o pão e o peixe, deixo-os pra multidão Eu quero vocêêêÊêêÊê mais fundo em mim"
|Rafael Lopes|



Há dias que só um tantinho da graça já basta!