auto-arrumação


Ontem foi dia de arrumar o quarto. Na verdade, esse dia deveria ter sido há um tempo, mas a preguiça se estendeu. Ontem não teve escapatória.
E como não sei fazer nada sem música, fui organizando as coisas ao som de Palavrantiga. Meu guarda-roupa tava um caos, comecei a dobrar peça por peça e fui revendo roupas que eu nem lembrava que estavam ali.
Blusinhas de verão esquecidas por causa desse inverno - feio - aqui do Sul.
Casaquinhos leves de meia-estação, abandonados no fundo do guarda-roupa. (eu amo meia-estação!).
O par da meia rosa que havia sumido.
Aos poucos, tudo foi sendo colocado no seu lugar. E sozinha em casa, com a música alta, clima de arrumação, resolvi aproveitar pra me arrumar também... pensamentos, sentimentos, dúvidas, emoções, saudades, decisões.
Fiquei ali, com a porta fechada, dobrando roupas e conversando comigo, e com Deus.
Nessas horas eu já tava lá no álbum do Thalles, aprendendo muito sobre liberdade.
E depois de espiar um pouquinho o xodó (blog) e o passarinho (twi), voltei pro meu canto, agora todo engomadinho. E fiquei ali, me enchendo de céu e poesia.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos