Atemporal


E a falta tem me feito companhia.
Porque eu tenho essa coisa de não saber viver sem as pessoas?
Talvez eu seja mesmo feita de retalhos. Quem sabe perder também seja minha sina. A verdade é que ainda não recebi a cura pra minha sinestesia.
Continuo amando os amigos que por, bem ou mal, se afastaram. Continuo sentindo falta do grupo completo. Da casa cheia. Falta de reticências. Do carinho agridoce.
Sinto falta de como tudo era há mais ou menos um ano atrás, mas as coisas mudam e tomam rumos diferentes.

Ninguém quer o passarinho caído do ninho.
Mas talvez quando eu aprender a voar eu receba um olhar.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos