A cidade está cheia de atores


Abre a cortina e deixa rolar o próximo ato.
O coração cheio de ansiedade miúda. Cheio de certezas e dúvidas a respeito desse futuro que provoca e se esconde. A tristezinha fina que volta e meia aparece e reaparece. A poesia retraída pelo tempo. O cansaço que pesa as pálpebras. A distância de quase todos que amo. Ou amei. E a saudade sempre sendo a aquarela do meu céu com diamantes. Minha memória afetada pela ventania de transformações. Pernambuco que me dói de tão longe e as pessoas que só sabem falar da tal da Capadócia. Meus livros mergulhados em mim e o mundo voltado pra um televisor. Eu vejo o egoísmo sucumbindo os relacionamentos. As pessoas se tornando objetos descartáveis. O eterno sendo substituído pelo perecível. E a humanidade preocupada em não perder o último capítulo da novela. O jogo da seleção. A droga do programa de fofocas. O mundo conformado com o próprio mal... a superficialidade é a moda. Eu sinto. Muito.

Mundo, me desculpe, mas eu INTENSAMENTE não fui feita pra você!

Comentários

"A tristezinha fina que volta e meia aparece e reaparece."

Ando me sentindo exatamente assim..

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos