(re) Encontro



"...dentro do quarto da minha mãe tinha um armário,
dentro do armário tinha uma gaveta,
dentro da gaveta tinha uma caixa,
dentro da caixa tinha um envelope,
dentro do envelope tinha um monte de retratos,
dentro de um retrato tinha Bisa Bia."


Quando eu era pequena, minha mãe lia pra mim. Me fez pegar o gosto por livros. Um dia, na biblioteca da escola eu achei Bisa Bia, Bisa Bel de Ana Maria Machado e me apaixonei. É simples, como uma minissérie de poucos capítulos, mas me encaixei muito bem na história de Isabel. Eu tinha nove anos quando o li pela primeira vez, e foi o segundo livro que me encantou desde minha independência como leitora. É que Bisa Bia mora comigo, mas não do lado de fora. Bisa Bia mora muito comigo mesmo. Ela mora dentro de mim. E eu havia me esquecido dela. Sem querer, deixei Bisa Bia voltar para o retrato, para o envelope, pra caixa, pra gaveta, pro armário. Hoje, mexendo nos meus HQs, encontrei-a novamente, como quando tinha nove anos, e me reapaixonei! Ela é linda. E Neta Beta então?! Quando eu tinha seis anos minha mãe foi embora e as leituras acabaram, tive que continuar eu mesma. E percebo que Ana Maria criou um playground pra uma criança que vivia perdida na biblioteca, quando todas as outras estavam no pátio brincando de pega-pega e amarelinha. As vezes, eu deixava o livro num cantinho e corria como todo mundo, mas logo me apegava com ele de novo... Tem coisas da minha infância que pouca gente sabe, tem coisas que eu não sei mas outras pessoas sabem, e tem coisas que ninguém mais sabe, só Deus lembra.


Eu, uma trança de gente, igualzinho a quando faço uma trança no meu cabelo, divido em três e vou cruzando uma com as outras, a parte de mim mesma, a parte da vida, a parte de Deus!

Comentários

Luci Rodrigues disse…
Que linda história, Luci! *-*

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

É sorrindo que se fala com os olhos

Talvez seja sim!