infindável



É que minha resistência não resiste a esse teu riso doce de olhar sincero e brilho encantador.
Tua onda calma misturada a sonora melodia do teu ser me embala.
Teu som lateja meu pensar e tuas notas dançam tanto em minhas pupilas que mal consigo segurar o tom certo das letras. Então me deixo ser invadida por essa sublime aurora, esqueço os pequenos desacordos e as desordens do tempo. Pego o peso do peito e deixo de lado, jogo pra fora, pra longe de mim. E te trago mais pra perto. Jogo a tristeza pro vento levar. E permito que a leveza de amar tome conta de tudo. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Para inspirar: Home Office

Talvez seja sim!

É sorrindo que se fala com os olhos